Bela, recatada e do lar

ser bela, recatada e do lar, ser Grace Kelly, Stephanie de Mônaco, Jackie Kennedy, Rogéria, Karol com K e Nega Brechó

ser bela, recatada e do lar, ser Margarida, ser Maria da Penha, ser Cláudia

ser bela, recata e do lar exige muito, exige renúncia, anulação, exige um sufocar interno e um instinto de sobrevivência secular

ser bela, recatada e do lar deixa de ser virtude, possível anseio, e norte quando a vida rouba a beleza, despreza a singeleza, o pudor e o recato e expulsa do lar para a luta

bela recatada do lar

 

Anúncios
Publicado em brazil-zil-zil, mundo estranho | Marcado com | 1 Comentário

Assim é cult!

Montes de gente achando lindo a versão quase Bebel Gilberto do Show das Poderosas que tá rolando na internêta.
Afinal, não há nada que um bom banho de estética de classe média e uma ascese burguesa não resolva, né?!
Assim pode!

 

Publicado em de ouvido, tão falando por aí | Marcado com | Deixe um comentário

Mêi pau, ladrão!!!

Minha mãe sempre teve uma certa aversão ao carteado. Certamente resultado de traumas domésticos mal-curados: família grande, mesa de natal cheia, freezer de cerveja idem, e 12 irmãos (sim, uma dúzia) muito bem versados em canastra, buraco, pôquer e congêneres.

Daí que quando (inevitavelmente) aprendi a jogar truco e a disputar campeonatos no centro acadêmico não foi exatamente uma alegria para ela. Os conselhos e tentativas de dissuadir-me do esporte tão bem quisto no meio goianês foram vários e com diversas motivações.

Se esse caso tivesse se dado há uns anos atrás, definitivamente iria contribuir muito para o repertório de apelações da minha mãe contra o truco!

Homem morre depois de levar tapa no rosto enquanto jogava baralho

Publicado em mundo estranho | Marcado com , , | Deixe um comentário

FIFA proíbe torcedor de levar instrumento e Brown leva no Fuleco!

brown_caxirola

Ai que antipatia que eu já tô dessa FIFA! Imagina na Copa?!?!?!!
Já não bastasse essa história que agora ninguém vai mais pro estádio… todo mundo vai pra ‘Arena’… não pode comer sanduíche de pernil, tem que ser McDonalds… não pode ter bandeirão, não pode levar radinho de pilha e tem que fazer xixi no banheiro!!! Daqui a pouco nem xingar o juiz pode mais…
Pra ficar melhor, a Câmara dos Lordes do futebol acrescentou mais um item ao manual de boas maneiras do torcedor brasileiro: nada de instrumentos musicais dentro dos estádios, digo, Arenas!
A medida antipática – que não valeu para as antipaticíssimas vuvuzelas! – foi adotada supostamente em favor da segurança mas vai contribuir mesmo é pra pasteurização do modus torcendi futebolístico e pra deixar de fora mais uma vez tudo que possa ser brasileiro demais nessa festa pobre que armaram pra nos convencer.
Quanto ao esquema do Sr. Brown e do Ministério dos Esportes… é bom alguém ligar pra China e mandar suspender o carregamento!

Publicado em tão falando por aí | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Representação concreta

Tanta gente dizendo que tanta gente não os representa…!
Ninguém apresenta como o que representa passou a representar o não-representado…!
Bastante representativo isso!

Publicado em tão falando por aí | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

O que está ruim (nem) sempre pode piorar

cemanosdesolidão

“nunca antes na história daquela cidade, algo tão monumental havia sido visto” (ilustração de Carybé no livro Cem Anos de Solidão)

A vida gosta de dar rasteiras na gente de vez em quando. Mas às vezes ela gosta mesmo é de dar um baita de um rabo de arraia, que te pega pelo queixo, te faz cair de bunda no chão com as pernas pro ar e cabeça tonta sem saber quem, porque, de onde e como!
Depois dessas bordoadas, geralmente a gente se sente pior que a larva da bosta do cavalo do bandido que batia na mãe! A pior das criaturas pra quem a vida é incapaz de sorrir e estender uma mãozinha amiga.
Normalmente esse quadro ainda é agravado pela presença insuportável de pessoas insuportavelmente felizes e bem-sucedidas que cospem na nossa cara todo o desprezo da vida por criaturas dispensáveis como nós.
O quadro é de desespero. E do desespero resultam sempre ações impulsivas, inconsequentes, desmedidas. Mas do desespero também brota a coragem, a coragem pra fazer o impensado, o improvável, inusitado. Coragem do tipo “tô tocando o foda-se pra tudo mesmo”!
Esses atos de coragem insana tem uma forte tendência a nos expor ao ridículo e à vergonha-alheia… mas às vezes dão certo.
A crônica a seguir narra a história e os infortúnios de José Carlos Cannolongo, um cara “preto, pobre, feio e que mora longe”, pra quem a vida resolveu fazer um gracejo e mostrar que o que tá ruim, nem sempre piora.

Assalto, Suruba e Fama

*para Robs, com açúcar e afeto, com amor e humor!

Publicado em mundo estranho, terapias | Marcado com , , , , | 1 Comentário

tropeços e tropeços

Vendo hoje os melhores momentos da premiação do Oscar, aquele concurso de quem usa o vestido mais caro e faz o discurso mais chato, tive que me solidarizar com a Jennifer Lawrence… tadinha!

tropeço oscar
Comigo já aconteceu exatamente a mesma coisa e foi um embaraço só!
O único detalhe diferente foi que eu estava subindo a escada do busão pra ir pro campus… e o vestido não era exatamente um Dior, mas era exclusivo! Um tai dai lindo comprado na Feira da Lua!
Jennifer, amiga! Super te entendo! Tamo junta!

Publicado em mundo estranho | Marcado com , , | Deixe um comentário

Postagens sui generis

Já que a onda é ser mainstream, não vou ficar de fora do assunto da semana: a blogueira de Fidel!

De tudo que tem circulado sobre a fan trip de Yoani Sánchez, uma entrevista concedida por ela ao jornalista francês, Salim Lamrani, professor da Sorbonne, tem ganhado espaço entre quem curte o lado B da história. O que Lamrani faz não é nada além do seu dever de ofício: investigar, argumentar, confrontar e exaurir a fonte pra poder passar adiante uma informação. E com essa rudimentariedade toda ele consegue deixar que todos vejam que a defensora-dos-direitos-humanos-contra-as-violações-da-ditadura-castrista não é essa Coca-Cola (ou seja lá qual refrigerante que se tome em Cuba) toda.

A luta da moça por liberdade de expressão é indiscutivelmente justa. É a bandeira que ela escolheu carregar e a forma como sustenta os ataques ao regime Castrista. A fragilidade dos argumentos dela não pode desmerecer o objetivo fundamental que é o direito à livre expressão. E não é porque Cuba é um exemplo em garantia de direitos humanos elementares, como acesso público à educação e saúde de qualidade, que podemos achar que a reivindicação dela pode ficar em segundo plano. Direitos são direitos. Sem hierarquia.

O que a entrevista ao repórter francês faz é evidenciar o quanto o suposto engajamento da moça é vazio, displicente, apologético… e o quanto a panfletagem dela contra o regime cubano é desprovida de qualquer seriedade política. Ao ler a entrevista, em muitos trechos foi inevitável deixar vir à tona o sentimento de vergonha-alheia. Mas depois, pensando melhor, achei que eu no lugar dela ficaria até muito grata pela entrevista, porque ela levou de graça uma aula de retórica e argumentação, com direito a umas pinceladas de filosofia política.

Ou a moça é muito ingênua, e começou essa história de blog como um passatempo, como forma (mais barata que terapia!) de externar angústias, opiniões e conflitos, ou ela acredita que seus leitores são absolutamente ingênuos e tão pouco informados como ela própria. Ou pior, a blogueira assume pra si (mas não para os outros) que vai lançar ali um punhado de opiniões pré-concebidas e com copyright ideológico sem se ocupar em anunciar o lugar de onde fala e a quem se filia. O que é hoje em dia o procedimento padrão de quem diz ter opinião sobre as coisas!

O que o francês faz é jogar na cara da moça que quem sai na chuva é pra se queimar! Não dá pra ficar nesse vacilo conveniente de quem é contra o embargo, mas acha que ele não tem nada a ver com as dificuldades econômicas internas da ilha. De quem defende que a escolha dos premiados com o Nobel de Literatura é eminentemente política, mas a premiação e remuneração a blogueiros por grandes corporações da comunicação internacional não é!

O tal capitalismo sui generis que a moça defende pra Cuba, que se apresenta com roupagem moderninha de revolucionário de internet, que propaga ideologias em 140 caracteres, e vem com aroma de chocolate suíço é um presente dos deuses para mídia que logo tratou de elevar estratosfericamente (em mídia e em $$$) tudo que a moça posta na rede.

É a cara de quem bota Guarany-Kaiowá no sobrenome no Facebook e acha que polícia tem mais é que passar fogo em bandido mesmo! É a cara de gente que diz que não é de direita, nem de esquerda. Que não é oposição, nem situação! Que é sui generis!

sui generis

Publicado em tão falando por aí | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

TPFM

Falta um mês para o mundo acabar!

Rumour has it…

E a julgar pelos acontecimentos que se avizinham é de se acreditar que dessa vez vai!

E daí que eu já estou com TPFM (tensão pré-fim-do-mundo)…

Na verdade as profecias devem estar acentuando os sintomas, mas a TPFM é algo que vem se tornando recorrente ano a ano, ou fim do ano a fim do ano.

E ela dá aviso! A coisa começa a se formar devagarinho, lá pelo mês de outubro, vai se avolumando, até que se acendem as luzes de emergência, digo, de Natal.

A primeira das quatro bestas do Apocalipse.

Depois dela vem o amigo secreto da empresa, o especial do Roberto Carlos e a música da Simone tocando no Shopping!

Aí pronto! Pode fechar a conta, passar a régua, acabar tudo e esperar o Carnaval…

Publicado em tão falando por aí | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Rosa-céu

Um dia na estrada, sozinha, pude ver o sol nascendo e participar daquela microfração de tempo em que o céu ainda está escuro e o sol começa a colorir um tom de rosa estupidamente lindo! a sensação de que você é a única pessoa a ver aquela cor, daquele lugar, naquele instante…é receber um presente!

p.s.: procurei uma foto pra ilustrar o post, inútil… ninguém fotografou o rosa que eu vi!

Publicado em mundo estranho | Marcado com | Deixe um comentário